segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Prefeitura vai criar ‘bike-escolar’

Prefeitura vai criar ‘bike-escolar’
27/11/2011 - Jornal da Tarde

RODRIGO BURGARELLI

A Prefeitura de São Paulo vai lançar um projeto de deslocamento escolar urbano por bicicleta. A administração promete colocar 4,6 mil bicicletas à disposição para que os alunos dos 45 Centros Educacionais Unificados (CEUs) da cidade vão e voltem pedalando de casa à escola. Para aumentar a segurança, monitores serão contratados para acompanhar os alunos no trajeto em sistema de “bike-bus”, isto é, em comboio.

O projeto é para alunos entre 10 e 14 anos, que estudam entre o 6.º e o 9.º ano do ensino fundamental. “Queremos que não seja apenas um projeto de transporte, mas de educação”, afirma o secretário municipal de Educação, Alexandre Schneider. Ele conta que, para isso, o projeto será dividido em quatro fases. “A ideia é termos uma mistura de aprendizagem sobre trânsito, meio ambiente e trabalho em grupo”, diz. 

“Isso é algo que já acontece em países como a Dinamarca desde a década de 1940, mas que no Brasil é inovador”, explica Daniel Guth, coordenador-geral do programa.
O uso da bicicleta pelos alunos será opcional, e todos os pais terão de concordar por escrito antes de o filho pegar a bicicleta emprestada. “Tudo isso vai ser feito com muito cuidado e zelo, coordenado com os órgãos de trânsito. Os meninos terão aulas de como pedalar nas ruas e serão acompanhados pelos monitores. Como são alunos de CEU, normalmente já moram mais próximos da escola”, diz o secretário.

O valor total do projeto, incluindo mão de obra e materiais, deverá ser de cerca de R$ 2 milhões ao ano. “Vamos deixar tudo formatado para que, se a gestão seguinte quiser, o projeto possa até ser ampliado”, afirma Schneider.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Agnelo anuncia R$ 122 milhões para construção de 400 km de ciclovias

21/11/2011 - Correio Braziliense

O governador Agnelo Queiroz anunciou nesta segunda-feira (21/11) a liberação de R$ 122 milhões da Terracap para a construção de 400 quilômetros de ciclovias no DF. A expectativa é que esse investimento comece a ser feito imediatamente.

Do total anunciado pelo governador, R$ 66 milhões já estão licitados, segundo informações do secretário de Obras, Oto Silvério Guimarães, as obras devem começar ainda em dezembro de 2011. Com esse valor, devem ser construídos 240 km de ciclovias que irão abranger, entre outras regiões, as Asas Sul e Norte, Lagos Sul e Norte, Ceilândia, Taguatinga, Gama, Guará, Park Way e Samambaia.

Ainda de acordo com o secretário de Obras, os R$ 56 milhões restantes serão licitados nos próximos meses e devem resultar em mais 160 km de ciclovia por todo o Distrito Federal.

O anúncio foi feito durante uma reunião com todo o primeiro escalão do governo, além do vice-governador Tadeu Filippelli e da primeira-dama Ilza Queiroz. A reunião começou por volta das 18h15 na residência oficial de Águas Claras. O encontro foi marcado para avaliar o trabalho feito nesses 11 meses de governo, definir metas para o restante de 2011 e estabelecer prioridades para 2012.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Sorocaba, SP, implanta ciclovia duplicada

14/11/2011 - Viva Cidade

Primeira ciclovia com duas oistas da cidade

Sorocaba
créditos: pedalandoeolhando.blogspot.com

A cidade de Sorocaba terá sua primeira ciclovia com pista dupla, já em construção no canteiro central da Av. Ipanema (Zona Norte), no cruzamento das ruas Jerônimo da Veiga e Castanho Tasques.

O modelo de pista dupla foi adotado para conservar a disposição das árvores e dos postes de iluminação do canteiro central, porém, oferecerá mais conforto e segurança aos ciclistas que a utilizarem.

Outra novidade prometida pela prefeitura é uma ciclovia na Rod. João Leme dos Santos. A mesma será implantada durante as obras de duplicação e revitalização da mencionada rodovia que passa em frente à UFSCar.

domingo, 13 de novembro de 2011

Chineses dimunem uso da bicicleta

13/110/2011 - Revista Bicicleta

Depois de anos abandonadas em garagens juntando poeira, as bicicletas estão voltando ao cotidiano dos chineses urbanos, não apenas como um meio de transporte, mas também como estilo de vida saudável e moderno.

Liu Guanqin, de 28 anos, morador de Jinan, capital da Província de Shandong, no leste do país, comprou recentemente duas bicicletas para montanhas, incluindo uma de cor rosa para sua namorada.

O casal pedalou 20 km pelos subúrbios de Jinan no último fim de semana. "É realmente maravilhoso andar de bicicleta nas estradas rurais, consideramos isto ótimo, ecológico e bom para nossa saúde", disse.

A China, que já chegou a ser conhecida como "Reino das Bicicletas", tem hoje 450 milhões de bicicletas, segundo a Associação Chinesa de Bicicletas.

Nas décadas de 1960 e 70, as bicicletas eram símbolo de vida decente para os chineses. Na década de 1980, ela se tornou um meio de transporte ideal para os moradores urbanos.

Na década 90, porém, estes veículos começaram a desaparecer das ruas, à medida que eram substituídos por carros.

Embora cada vez mais gente desfrute da conveniência trazida pelos carros, as pessoas também começam a sentir a degradação da qualidade do ar com o aumento das emissões e problemas de saúde devido ao sedentarismo.

Isto faz com que alguns voltem a recorrer às bicicletas. Cidades nas províncias de Shandong, Hunan e Hebei criaram associações para promover o uso de bicicletas.

Enquanto isso, os governos locais fizeram diversos esforços para mostrar seu apoio aos ciclistas.

Hangzhou, capital da Província de Zhejiang, no leste do país, foi a primeira cidade chinesa a lançar um sistema de aluguel de bicicletas. As 2.050 estações de aluguel na cidade emprestam as 60 mil bicicletas 250 mil vezes por dia.

Os funcionários públicos de Jinan planejam criar 2 mil estações de aluguel de bicicletas durante o período 2011-2015, como uma maneira de promover um estilo de vida de baixo carbono.

A capital chinesa, Beijing, está trabalhando para incluir as bicicletas em seu plano de transporte até 2015.

sábado, 12 de novembro de 2011

Programa de aluguel de bicicletas no Rio ganhará mais 8 estações

12/11/2011 - G1

O programa de aluguel de bicicletas da cidade do Rio ganhará, no próximo domingo (13), mais oito estações com 80 bicicletas na Zona Sul do Rio. Elas ficam nos bairros do Leblon, Gávea, Jardim Botânico e Humaitá.

As novas estações ficarão no Leblon, nas ruas José Linhares e Visconde de Albuquerque; na  Gávea, no terminal de ônibus da PUC, na Praça Sibélius, no Shopping da Gávea e no Baixo Gávea; no Jardim Botânico, na Rua Pacheco Leão; e no Humaitá.

Para utilizar o serviço, o usuário precisa se cadastrar no site do programa e adquirir o passe Samba, se optar pelo pacote mensal diário. A bicicleta pode ser destravada por uma ligação ou através do aplicativo do programa para celulares.
A mensalidade custa R$ 10 ou R$ 5 por uso diário. O pagamento pode ser feito por cartão de crédito. O passe vale por 60 minutos.

De acordo com a prefeitura, as estações serão alimentadas por energia solar. No total, serão 600 bicicletas. Novas travas e pinos de fixação reforçam o sistema de segurança para dificultar o furto das bicicletas.

No dia 28 de outubro, o prefeito Eduardo Paes participou do lançamento do programa, com a entrega de 11 estações em Copacabana, na Zona Sul. Elas ficam nos seguintes pontos: Posto 6, Sá Ferreira, Miguel Lemos, Cantagalo, Santa Clara, Dias da Rocha, Serzedelo Correia, Siqueira Campos, Copacabana Palace, Cardeal Arcoverde e Princesa Isabel.

Rio terá mais 100 km de ciclovias até 2014

06/11/2011 - O Globo

Prefeitura afirma que cidade ultrapassará Bogotá, na Colômbia, e terá a maior malha cicloviária da América Latina

Claudio de Souza claudio.souza.rpa@oglobo.com.br

O Rio vai ganhar mais cem quilômetros de ciclovias até 2014 e deverá ter a maior malha cicloviária da América Latina, com 350 km de extensão. A previsão é da prefeitura e inclui, além dos projetos em execução, ciclovias que se integrarão aos corredores expressos planejados para a cidade, como Transoeste, Transcarioca, Transolímpico e Transbrasil. A oitava e última reportagem da série "Vou de bicicleta" mostra as expectativas de expansão das ciclovias e os principais desafios que a cidade terá de enfrentar para massificar o transporte sustentável em duas rodas.

Hoje, a maior rede cicloviária da América Latina, com 340 quilômetros, está em Bogotá, na Colômbia, que investiu desde os anos 70 na infraestrutura para bicicletas. O Rio de Janeiro tem uma malha de 250 quilômetros, que já é a maior do Brasil, e mostra um avanço de 66% nos últimos três anos. Até o fim do ano que vem, a prefeitura promete entregar mais 50 quilômetros de ciclovias. Com isso, a rede deve dobrar em relação a 2008.

- A partir de 2009, começou a se pensar a bicicleta como transporte, e não somente como lazer, como era antes. Então, o grande desafio foi aproveitar os 150 quilômetros de ciclovias de lazer que já existiam e transformá-los numa rede integrada ao sistema de transportes, e com o dobro do tamanho - diz Altamirando Moraes, subsecretário de Meio Ambiente, órgão responsável pela política cicloviária do Rio.

Novos percursos terão integração com BRTs

Para as novas vias expressas, a ideia da prefeitura é a construção de ciclovias alimentadoras das estações de BRT, e não de pistas que acompanhem toda a extensão dos novos corredores. No projeto do Transolímpico (Barra-Deodoro), de 30 quilômetros, deverão ser construídos 16 quilômetros de ciclovias. No Transoeste (Barra-Santa Cruz), será licitada ainda a construção de seis quilômetros de ciclovias. No Transcarioca, que ligará a Barra ao Aeroporto Internacional, Moraes diz que estão previstas algumas ciclovias no trecho da Penha à Barra, mas lembra que os traçados ainda não estão definidos. O Transbrasil (ao longo da Avenida Brasil) também deverá contar com pistas para ciclistas até os BRTs.

Para promover maior participação da bicicleta no sistema de transportes do Rio, Moraes diz que, além da expansão das ciclovias, é preciso melhorar a infraestrutura para a guarda das "magrelas" e aumentar o sistema de bicicletas públicas de aluguel. O subsecretário afirma que a prefeitura planeja aumentar o número de estações de 60, que deverão ser instaladas até 13 de dezembro na Zona Sul e no Centro, para 260 até o fim de 2012, com o número de veículos passando de 600 para 2.600.

Os bairros que devem ser cobertos pela expansão do serviço ainda não foram definidos. O secretário de Conservação e Serviços Públicos, Carlos Roberto Osório, responsável pela concessão do serviço, diz que a prefeitura deve preparar o novo projeto até o primeiro trimestre do ano vem.

Objetivo é incentivar bicicletários nas empresas

Em relação à melhoria da infraestrutura de guarda da bicicleta, Altamirando diz que planeja a instalação de mais bicicletários públicos e uma forma de incentivar as empresas privadas a também abraçar a ideia.

- Temos um grupo estudando uma forma de legislação para incentivar centros comerciais e empresas a instalarem bicicletários. É preciso também que as empresas incentivem seus funcionários a ir trabalhar de bicicleta, com a instalação de vestiários - afirma ele.

O secretário-geral da Federação Europeia de Ciclismo (ECF, na sigla em inglês), Bernhard Ensink, que esteve no Rio em setembro para um seminário sobre mobilidade urbana, afirma que a cultura da bicicleta na cidade está no começo. Para o representante do órgão que apoia políticas de uso da bicicleta em todo o mundo, a cidade precisa, além das ciclovias, de mais ruas com limite de velocidade de até 30 km/h, para uso compartilhado por bicicletas e carros.

- Vejo um potencial que ainda não está totalmente realizado - diz o holandês, lembrando que seu país implementou a cultura da bicicleta há mais de 40 anos.

O Globo/AC

Outras notícias
06/11/2011 - 03h46
VOU DE BICICLETA
Rio terá mais 100 km de ciclovias até 2014 Prefeitura afirma que cidade ultrapassará Bogotá, na Colômbia, e terá a maior malha cicloviária da América Latina Claudio de Souza…

06/11/2011 - 05h32
Novas pistas para velhos problemas
Especialistas lembram que desafios da cidade vão além de fazer mais ciclovias Apesar da expansão da rede de ciclovias, o Rio ainda tem muito o que pedalar para que as bicicletas tenham…